Olá amores, hoje trazemos uma entrevista com uma escritora muito querida que é a Lisa Costa, que escreveu "Fora de Alcance", então não percam.
1.    
     PCOLETÂNEAS: Primeiramente, obrigada Lisa, por aceitar nosso
convite. E a pergunta que nunca se cala aos escritores é: Quando despertou o seu desejo por escrever? Houve alguma motivação em especial?

Bom, o que me despertou a vontade de escrever foi quando eu comecei a ler Fanfics de jogos vorazes. Naquela época minhas idéias de um final diferente para a saga contribuiu muito pra isso.
A grande responsável por segurar minha mão e me guiar até lá, foi minha grande amiga de infância Francyelle, que abriu a conta no Nyah e me ensinou como publicar as histórias.

2.    PCOLETÂNEAS: Você está lançado seu primeiro livro, “Fora de Alcance”. Por que publicar exatamente esta história dentre tantos enredos que você já desenvolveu?

Além de já está completa, tenho um carinho especial por ela. Tive uma ajuda de uma pessoa muito especial na montagem do enredo, e em cada palavra escrita ali também tem um pouco da essência dessa pessoa. Minha amiga/irmã de alma Georgeane.

3.    PCOLETÂNEAS: Como é o seu relacionamento com seus personagens? Há alguma curiosidade ou “magia” sobre o momento em que está criando-os?

É uma coisa muito louco minha relação com os personagens. Na maioria das vezes o enredo começa quando eu vejo alguém e penso: “Cara, essa pessoa ficaria bem como...” e por ai começa.
Meus personagens entram na minha cabeça e ficam ali até que a história termine. Eles tem nome e sobrenome, tem cheiro, tem manias, tem mau humor. Eles choram no meu ombro e fazem festa comigo. São meu filhos que ficam presos em minha cabeça e na tela do computador.
Hoje conversando com uma amiga, contei a ela que um personagem não estava me deixando dormir. Era como se eu estivesse com ele, sentado em sua cama com as pernas dobradas como índio ouvindo toda a sua lamentação e desabafo. Levantei e coloquei tudo no papel, e ele na minha cabeça sorriu satisfeito.
Loucura né?
4.    
    PCOLETÂNEAS: Conte-nos um pouco sobre sua biografia e se você atribui alguns aspectos da sua vida à construção dos seus enredos.

Na grande maioria dos enredos que eu monto, coloco sempre alguma coisa relacionado a medicina. Tenho 21 anos de formada como técnica de enfermagem, e como isso faz parte do meu dia a dia fica bem mais fácil.
A carga de emoção que eu carrego comigo  faz com que minhas histórias tenham uma carga grande de drama que emocionam as pessoas. (bom, eu acho rsrsrs)

5.    PCOLETÂNEAS: Olhando para outro viés da sua caminhada literária, você também tem participado do trabalho de antologias do Projeto Coletâneas. O que você tem a dizer sobre esse projeto?

Participar desse projeto foi uma honra pra mim. A idealização foi magnífica, e reúne um grupo de escritores com um talento ímpar. Espero ver esse projeto alçando vôo, e que todo o Brasil, e quem sabe todo o mundo possa conhecer esse projeto.

6.    PCOLETÃNEAS: Deixe sua mensagem de incentivo aos novos autores.

Na vida temos que ter sonhos, e acreditar que eles possam realizar-se. Eu tinha um sonho. Sonho esse que era um dia ter um livro meu em minhas mãos, e eu consegui.

Da mesma forma que eu vi um sonho sendo realizado, todos também podem ter. Fé é algo que move montanhas, e eu creio nisso.


Espero que tenham gostado, e conhecido essa pessoa maravilhosa, até a próxima.

A estória se passa em Viena – Áustria – no século XIX, desabrochando um romance aparentemente clichê, contudo, com sua pitada de originalidade.
Anna Selina Becker é uma moça romântica que sonha em se casar por amor, ainda que tenha plena consciência do seu futuro: casar-se com o homem escolhido por seu pai: o importante General Nicolau Joseph Becker.
Incompreendida por sua mãe, Selina tem apenas sua prima Alexia para desabafar os dissabores que a vida lhe reserva.
A trama é escrita em terceira pessoa o que permite o leitor observar o que acontece nas duas pontas da história até ela se fundir em um mesmo cenário. Pois, tanto podemos ver o que se passa com Anna Selina em Viena, quanto com o jovem George em Londres.
George Miller-Campbell é o mais novo Conde de Blanchard, após a morte de seu pai. Inconformado com seu destino, ele leva uma vida de futilidades deixando sua mãe e o Conselho londrino em estado de alerta.
George também possui um amigo e conselheiro pouco convencional para seu status: John, o seu cocheiro, que apesar de  poucos anos mais velho, é o único que consegue colocar um pouco de juízo na cabeça do conde aventureiro.
Pressionado pelo Conselho e pela Condessa, a cumprir seu papel e honrar  o nome da família, o Conde de Blanchard se vê sem saída quando lhe é imposto que precisa encontrar uma noiva em poucos meses e que seja na Áustria por causa das alianças políticas.
E é neste momento, meus queridos leitores, que pensamos que o amor surgirá entre esses dois jovens protagonistas e explodirá num romance intenso, porém, a estória toma um rumo totalmente diferente.
Uma trama de amor verdadeiro sim, mas também, de renúncia, espera e amizade sincera.  Vocês se depararão com pessoas envolvidas nas peças do destino, sem que haja, de fato, um vilão ou um culpado. São apenas vítimas das circunstâncias sociais da época, nas quais estão presos.
O conto nos mostra que desejar um céu inalcançável ou almejar estar num paraíso com alguém, pode custar um alto preço, mas a esperança prevalece apesar do tempo e da distância.
Bem, meus caros, o final é simplesmente surpreendente... apenas lendo para saber.
“Mein himmel. Mein paradise”




     É muito difícil achar algum escritor que não tenha um bloqueio Criativo caso você não tenha tido, parabéns você é realmente incrível — é algo insuportável, pelo menos em minha opinião, você quer tanto escrever uma coisa, mas sua mente parece um deserto, não consegue pensar em nada em relação ao que está escrevendo, vem tudo menos aquilo que tanto precisa. Infelizmente não trago a "Solução", mas sim meios de tentar sair dele. Como sabemos, a espera para ter criatividade ou inspiração é tortuosa, você quer tanto que nada sai. Então tentaremos com algumas coisas, afinal o que custa tentar?
      
      Ler
     
     Ler é uma das melhores alternativas, você melhora sua escrita e ainda consegue se inspirar em certas cenas ~ não estou falando de plágio, só para deixar claro ~ a verdade é que ler ajuda muito, minha dica é que leiam na Narrativa e Gênero que escrevem. Se você escreve na terceira e romance pessoa leiam livros que estão nessa narrativa, como: O inferno de Gabriel, ele é um ótimo livro, com um romance incrível na terceira Narrativa. Mas Nick e se eu escrevo na Primeira? Leiam nessa narrativa, um dos romances de primeira visão que eu li e gostei muito foi " A Seleção".
        Concluindo: Se você escreve 3º Pessoa Terror ~Procure livros que sejam desse gênero e Narrativa, sempre acompanhem o que você escreve, para que não venha ter problemas e sim uma solução.

Músicas
        Músicas são ótimas para se ter inspiração, porem como em livros não é indicado ler de gêneros diferentes, em músicas é bom ouvir coisas que venham te ajudar, músicas românticas ajudam muito quem escreve romance, há vários tipos de gêneros que contribuem na hora da escrita, muitas vezes eu escuto Adele, as musicas delas são lindas, com perfeitas melodias e sempre que eu a escuto consigo ter pelo menos alguma ideia de como começar, ou do que necessito.


Filmes
         Filmes está em terceiro, afinal, como não se inspirar em filmes sendo que a maioria vem de livros? Muitos filmes inspiram por conter imagens, gêneros e diversas coisas, os filmes são ótimos assim como os livros, mas observe cada detalhe, afinal eles não descrevem cada passo e sim momentos,

Por enquanto é só, caso nada disso adiante as vezes o melhor é tentar relaxar, pensar de mais as vezes atrapalha, durma, saia com pessoas que gosta, socialize um pouco, as vezes isso ajuda mais do que qualquer coisa.

Beijo: Coletâneas

(Obs: Fiz esse post com bloqueio rsrs)


     
Mila e Edu = Descoberta.
Esse é  o conto de número dois, de Amores Virtuais, escrito por mim, Nicoly Simarque e pela Georgeane Braga. Diferente do primeiro, esse conto tem uma pegada mais descontraída e engraçada.
 A história gira em torno de dois amigos que resolvem dividir um “apê” com a oportunidade de  um intercâmbio no Canadá.
Eles se conheceram através de uma amiga em comum e os papos no chatface não poderiam ser mais divertidos.
Camila, mais conhecida como Mila, é extrovertida, faladeira, possui uma facilidade enorme em fazer amizades. Com ela, não há tempo ruim que impeça um bom programa entre amigos.
Ele, Edu - que prefere ser chamado de Eduardo - (mas, pra gente é Edu mesmo!), é pouco falante, reservado. Daqueles que espera toda a conversa rolar pra depois dar uma opinião estilo nerd e formal. Porém, não deixa de admirar Mila por seu jeito espirituoso e divertido.
Só que... as coisas mudam um pouquinho quando eles passam a morar juntos. Os dois amigos descobrem que apesar de se gostarem muito virtualmente, são totalmente opostos e  do tipo que não se atraem, sabe.
Ele é organizado, metódico, principalmente com horários, vegetariano, centrado totalmente nos estudos e de poucas festas e amigos.
Ela é impulsiva, fala besteiras, come besteiras, adora uma balada e estar no meio de gente. Deixa roupas espalhadas pela casa e faz xixi com a porta do banheiro aberta.
É isso mesmo o que vocês estão pensando: ela é o inferno astral dele. Mas, ele também não é lá, o paraíso astral dela, né. ¬¬
Com tantas diferenças, eles terão que aprender a conviver até que o curso acabe e cada um tome seu rumo. Muitos conflitos acontecem entre eles até que Edu tem uma ideia e descobre...
Mas, eu não vou contar o que é! Rsrs.
Entrem no >link< e conheçam a história de Mila e Edu. Depois voltem para comentar aqui, combinado?

Beijos e boa leitura! *-*




Malu e Marlon= Decisão
Eu te amo@.com é o primeiro conto da série pioneira, Amores Virtuais, do Projeto Coletâneas, e conta a história de Malu, uma jovem arquiteta, ainda solteira e que adora fotografar nas horas vagas. Por ser reservada e insegura demais, possui pouquíssimos amigos e mora apenas com sua cachorrinha Pipa.
Com tanta solidão assim, não era de se estranhar que a moça se apegasse à Marlon: um rapaz que conheceu em um Webnário sobre projetos sustentáveis, passando então a ter contato virtual constante com ele.
Por sua vez, Marlon é um pouco mais descontraído, no entanto, sem falar muito de sua  vida pessoal. Aos poucos, vai mostrando carinho por Malu, que descobre gostar mais do que imagina do amigo, após dois anos de amizade.
A palavra que define esse relacionamento virtual é: Decisão; pois Malu recebe uma noticia devastadora e ela terá que decidir o que fará em relação à Marlon.
Mas para saber do que se trata, convido-os a entrarem em uma das plataformas de leitura e a lerem o conto. Depois, fiquem À vontade para comentarem aqui como se sentiram na pele de Malu e qual seria a melhor decisão a tomar, okay?
Os links das plataformas são:

                                              Beijos e até o próximo conto <3

Georgeane Braga


           
          
           Elsa, rainha herdeira do trono de Arendelle, descobriu desde muito cedo, que possuía um poder estranho nas mãos. Por muito tempo tentou encobrir para não deixar ninguém perceber. Isolou-se em um quarto tentando ignorar seu dom, usando luvas. Anos depois, ao conhecê-lo melhor e a praticá-lo, descobriu as maravilhas que poderia fazer com ele.
Assim somos nós, escritores. Temos nas mãos o dom de transformar, criar, cativar, captar e fazer mágica através da escrita. Temos o poder nas mãos e muitas vezes temos receio; duvidamos da nossa capacidade por medo das criticas ou declaramos a incompetência de lidar com algo tão precioso.
          Ficamos, às vezes, dias trancafiados no “quarto do bloqueio” esperando o momento certo para sair e encarar o papel. Refletimos, ponderamos se algum dia alguém lerá algo criado por nós e se encantará como nos encantamos com aquele livro de cabeceira.
Mas quem nasceu para ser Elsa não consegue por muito tempo esconder seu dom. Uma hora ou outra ele sobressairá e seu brilho e encanto nos fará apaixonar por cada personagem, por cada enredo criado.
        Quem nasceu para escrever nunca conseguirá ficar de luvas por muito tempo. O poder precisa ser visto por todos e nos surpreenderá!
E o mais importante: sempre teremos uma “Anna” que nos inspirará, nos instigará a continuar, dando força, acreditando nesse poder magnífico.
A prova disso está aí mesmo: Jennifer Michelle Lee, a co-roteirista do Filme Frozen – Uma aventura congelante, estava bem inspirada quando o escreveu, não é verdade?

Por: Georgeane Braga



Ficha Técnica

Sinopse:
Quem nunca viveu um AMOR DISTANTE, prepare-se: porque a qualquer momento poderá ter essa incrível experiência. 
Já se imaginou recebendo bilhetes de um QUERIDO AMANTE SECRETO? Ou lutando por alguém que está a 400KM de você? Quem sabe descobrir uma grande amizade escrevendo CARTAS A ALGUÉM QUE NÃO CONHECE e ainda assim, sentir que não são DESCONHECIDOS?
Fique atento! Pode ser que sua metade esteja A UM TOUCH DE DISTÂNCIA, ou até mesmo na KOREA; disfarçados em codinomes misteriosos de um BLOG ou de um FACE FAKE.
E quando descobri-la, talvez considere um ERRO, mas saberá que é PERFEITO, principalmente quando MIL ACASOS os deixarem INCOMUNICÁVEIS por um tempo... e nessa hora, desejará viver essa INEVITÁVEL PAIXÃO como se fosse o ULTIMO ROMANCE, imaginando que um dia, possam juntos, VER O AMANHECER.
Encontre nesses contos a inspiração para viver um AMOR VIRTUAL, e quando acontecer, não  esqueça de dizer a seguinte mensagem: “ EU TE AMO@.COM!”

No total são 15 Capítulos 
Classificação: 13+
Categorias: Originais 
Personagens: Personagem Original
Gêneros: Amizade, Aventura, Comédia, Drama, Romance
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo
 Para ler e desfrutar desse maravilhoso tema é só ir -> AV